Reflexões Sobre Reprodutibilidade Técnica Nas Obras De Arte

Que  Walter Benjamin não é a favor deste método, todos nós sabemos, e o mesmo elenca justificativas plausíveis para que possamos considerar o quanto a técnica de reprodutibilidade técnica afeta o valor de significado de uma obra de arte. Mas e se considerarmos lançar um novo olhar  para esta técnica ? Este é o convite que trato através desta tímida reflexão.

Bem, o que é então a reprodutividade técnica senão uma disseminação de forma massiva de algo que te fato impactou a sociedade de tal modo, que quer agora se enraizar de forma, digamos ousada, ou mais adaptada a nossa realidade, gerando novos significados?

Há aqueles que discordem e até mesmo aleguem que este tipo de mecanismo deterioriza todo um trabalho que fora estruturado de forma profundamente estudada, esquecendo que que cada etapa da obra, dada como original, carrega em si grandes significado e conceitos técnicos, e que estas novas reproduções readaptadas fazem cair no esquecimento todo este procedimento.

Algo muito parecido com isto, podemos também encontrar no mundo científico quando nos baseamos em alguma teoria científica  já formulada para nos ajudar a dar seguimento em novas descobertas e significados, e estas novas descobertas vem quebrar paradigmas antes tão verdadeiros.  Assim enxergo a reprodutividade técnica no mundo das artes no geral, como uma constante resignificação de dadas obras. Dentro deste processo podemos identificar críticas, e trazer novos significados para o que antes estava limitado a uma só interpretação.

A modernidade dá grande abertura para isto,  o que possibilita o surgimento de um grande movimento de elaboração de  novas releituras deste segmento.

Passar a entender que a reprodutibilidade técnica de uma obra de arte  não é a reprodução da obra em sí – criação de uma cópia, réplica infiel –   e sim um trabalho que tomou como base uma obra conceitual e que extraiu a partir dela uma nova obra carregada de novas sentidos.

 

Atrevo-me ainda  a dizer que, saber interpretar uma obra estruturada através deste conceito pode até ser um exercício muito mais profundo e trabalhoso.

 

FONTE: Benjamin, Walter – A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica